4 melhores práticas para melhorar a gestão logística do seu negócio

Um negócio que funciona bem precisa ter processos devidamente estruturados, responsabilidades definidas e um controle feito com muito profissionalismo por parte dos gestores. Dessa forma, as rotinas diárias tendem a não saírem fora do planejamento para manter margens de rentabilidade em bons patamares.

Acontece que nenhuma organização existe e atua sozinha. Ela sofre influência de seus parceiros e clientes e também exerce algum efeito sobre todos eles ao mesmo tempo. Sendo assim, para manter o dia a dia da produção dentro de uma normalidade, fazer uma gestão logística é fundamental.

Aplicada a todos os tipos de empresas, a gestão logística precisa ser bem entendida e corretamente controlada. Sobre este assunto, algumas explicações merecem um pouco mais de atenção. Confira a seguir.

O que é gestão logística

Antes de entrar diretamente no conceito de gestão logística, vale a pena explicar o que é a cadeia de produção. Ela é um conglomerado de empresas que participam de operações conjuntas fazendo com que, do primeiro fornecedor até o recebimento dos produtos ou serviços demandados pelo cliente, todo o processo aconteça de forma ordenada e funcional.

A gestão logística, por sua vez, é um pedaço de toda essa cadeia. A gestão é a responsável pelo planejamento, implementação e controle das fases que compreendem o fluxo logístico. É um conjunto de atividades que garante, além da eficácia do processo, a sua eficiência, tornando os custos e prazos viáveis para todos os envolvidos..

Fazendo com que cada etapa e participante consiga honrar com suas entregas dentro daquilo que foi previamente acordado, a gestão logística precisa garantir a qualidade dos produtos ou serviços. Isso faz com que a empresa ganhe e mantenha sua credibilidade junto ao cliente final.

Como o consumidor praticamente só enxerga a empresa da qual compra, a boa gestão de todos os outros parceiros é fundamental para que a boa imagem da companhia seja mantida.

Logicamente que não se pode também perder de vista a relação de custos, pois uma solução logística precisa ser, acima de tudo, viável. Isso significa que o valor cobrado e pago tem que ser proporcional ao serviço prestado.

4 melhores práticas da gestão logística

Envolvendo empresas de todo o tipo e dos mais variados locais, a gestão logística influencia diretamente a oferta e a demanda de milhares de consumidores e fornecedores independentemente de onde estejam. Exercendo tamanho impacto, ela não poderia deixar de ser estudada e testada.

Mediante esforços de organizações de todo o tipo e de gestores dedicados, algumas boas práticas de mercado acabam ganhando mais destaque na busca por processos mais lucrativos e eficientes. Veja a seguir 4 delas:

1. Planejamento e controle da produção

É natural que administradores normalmente associem o desenvolvimento de um planejamento quando o assunto são novos negócios, outras linhas de produção, projetos a serem implantados, campanhas de marketing e qualquer atividade que ainda não tenha uma rotina programada e, principalmente, operante.

A verdade é que mesmo alguns processos cotidianos devem ser planejados, como é o caso da produção. Ao se criar um planejamento de produção, todos os recursos necessários para o trabalho e também os que envolvem o transporte de produtos podem ser levantados previamente.

Como a logística também depende de um acompanhamento adequado das informações, a parte de controle não pode ficar de fora. Monitorando o ritmo das atividades, o desempenho final tende a ser sempre melhor.

2. Alinhamento junto aos fornecedores

Como já foi explicado anteriormente, a cadeia de suprimentos (Supply Chain) pode envolver diversas empresas de uma só vez. Nela, uma organização pode até ser, ao mesmo tempo, cliente e fornecedor na relação com outro player.

Tendo uma dinâmica tão ampla e possibilidades das mais diversas, é preciso que a organização e a comunicação entre os envolvidos aconteçam sem ruídos, atrasos ou falhas. Para que isso ocorra, é necessário um grande alinhamento.

As pessoas precisam ter acesso fácil e direto aos canais de atendimento e relacionamento para que situações que exijam atitudes mais velozes não acabem gerando muitas dores de cabeça e prejuízo. É importante que todos saibam que o sucesso do conjunto depende do bom resultado de cada um dos participantes.

3. Previsão de demanda

Cada vez mais se fala em sistema enxuto ou puxado. Chamado ainda de lean, esta metodologia — que apesar de não ser necessariamente nova, vem ganhando muitos adeptos — sugere que a produção tenha o seu ritmo ditado pelo consumo e não pela capacidade da linha produtiva.

Na prática, o que se quer dizer é que as empresas não vão concentrar esforços em atividades que tenham a finalidade de gerar o máximo de produtos possíveis a serem estocados, aguardando o momento de venda. A visão é exatamente oposta: buscando manter um estoque minimamente abastecido, o que se procura é produzir somente o necessário e evitar desperdícios.

Partindo desse ponto de vista, o gestor precisa se concentrar em conseguir antecipar a sua demanda. Assim ele planejará a produção utilizando somente os recursos necessários e não terá capital de giro imobilizado em estoques que acabam gastando com manutenção e seguros, por exemplo.

4. Utilização de tecnologias

Dispondo de sistemas cada vez mais automatizados e que são capazes de interligar vários processos, áreas e até empresas diferentes, a gestão logística conta hoje com opções bastante interessantes quando o assunto é tecnologia.

Como o volume de informações é muito grande e a velocidade com que elas circulam é muitas vezes instantânea, não há mais como tocar uma empresa que tenha uma necessidade logística mínima de maneira analógica. O controle digital não é mais uma opção e sim uma necessidade.

Por meio de sistemas avançados é possível programar e controlar a demanda de insumos, componentes e materiais acabados na relação existente com fornecedores e clientes. Qualquer empresa que não der atenção e adotar ferramentas adequadas a desafios como esses possivelmente terá grandes dificuldades de sobrevivência em mercados cada vez mais maduros e competitivos.

Aproveitando o gancho desse assunto e da importância que ele tem para que se faça uma gestão logística de nível profissional, sugerimos que você também leia outro conteúdo que preparamos para você: 9 apps de logística que podem ser úteis na sua empresa. Com certeza, vai gostar das sugestões que preparamos!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"