Qualidade, logística e armazenagem: entenda melhor essa relação!

Quando se fala em logística e processos internos de maneira geral, muita gente ignora a armazenagem. Ao pensar em qualidade, essa etapa nem sempre é considerada como um ponto para alcançar as metas almejadas.

Porém, sem a armazenagem, simplesmente não existe processo logístico. Sem ela, as empresas precisariam produzir sob demanda o tempo todo, o que prejudicaria a produtividade e os resultados. Além disso, a falta de armazenagem levaria ao desperdício de oportunidades já concretizadas, devido ao desabastecimento.

Assim, qualidade, logística e armazenagem estão diretamente ligadas. Para saber mais sobre isso, veja, a seguir, quais são os efeitos da armazenagem e a sua relação com os demais fatores.

Diminuição da contaminação e da deterioração 

Quando a armazenagem recebe a atenção condizente com a sua importância, há uma visível diminuição da contaminação e da deterioração de itens em estoque. Uma armazenagem segura impede, por exemplo, a entrada de agentes contaminantes, que podem ir desde microrganismos a roedores.

Além disso, uma armazenagem elaborada da maneira certa protege os itens de temperaturas muito altas ou baixas, assim como de incidência solar direta, umidade e assim por diante. Como consequência, os itens mantêm suas características por mais tempo, garantindo que estejam aptos para a venda.

Aumento da disponibilidade em estoque

Por falar nisso, uma boa armazenagem é responsável por manter a qualidade dos produtos e, em última análise, por garantir a sua disponibilidade. Se os produtos ficam protegidos, eles estão sempre prontos para a venda.

Assim, o negócio não precisa passar pela situação inconveniente de só descobrir que um determinado item precisa ser reposto por não poder ser vendido na hora em que o cliente já fez o pedido.

Mantendo a qualidade dos itens, o negócio consegue ter uma logística mais ágil: assim que o cliente faz e confirma o pedido, o produto já é separado e enviado, conforme o que foi especificado.

Sem a armazenagem adequada, o cliente faz o pedido e, quando o negócio vai selecioná-lo, nota que está estragado ou sem condições. Assim, o cliente tem a compra cancelada ou precisa fazer algum tipo de substituição. Seja como for, é uma situação que rouba tempo e eficiência da logística.

Economia de espaço 

A íntima relação entre qualidade, logística e armazenagem também está ligada à economia de espaço. Se a armazenagem é bem estruturada e planejada, isso significa que o espaço é utilizado de maneira otimizada. Sem desorganização, há mais espaço para mais itens.

Para a logística, isso é positivo. Em primeiro lugar, um local organizado tem mais capacidade, então, significa que pode haver um estoque maior, caso assim se faça necessário.

Além disso, a economia de espaço evita que o estoque precise ser deslocado para outro local. Embora a descentralização seja positiva até certo ponto, a transferência forçada pode significar mais custos entre conseguir faturar os pedidos e enviá-los para entrega.

Redução de custos 

Naturalmente, há também uma redução de custos quando essa relação é bem balanceada. Em primeiro lugar, a maior proteção de itens contra a deterioração garante que haja menos desperdício. Se os itens não precisam ser jogados fora, não há um custo extra com a compra de novos. Papelão Ondulado

Além disso, a economia de espaço também faz com que a logística seja menos onerosa do ponto de vista da manutenção. Também, não é necessário buscar espaços maiores e mais caros para algo que pode ser armazenado no espaço já disponível.

Outro ponto importante é que, quando a logística fica eficiente, ela se torna mais lucrativa. Ao demorar menos tempo para enviar um produto, por exemplo, o negócio consegue atender mais clientes e, com isso, faturar melhor sem precisar gastar mais.

Favorecimento do controle logístico 

Quando um produto é armazenado por uma companhia, ele está, de certa maneira, sob o controle desse empreendimento. É diferente imaginar uma empresa que tenha seu espaço de armazenagem e pensar em um negócio que só faça a intermediação de vendas.

Por isso mesmo, o processo de armazenagem é especialmente importante para aumentar o controle logístico de toda a operação. É graças a esse setor que a empresa consegue saber exatamente o que está (ou não) disponível em estoque, de modo a garantir que o produto chegue às mãos do cliente final.

Esse tipo de controle também é importante para que a logística possa se planejar em cima de bases mais sólidas. A partir daí, o processo logístico consegue ter uma sequência estruturada e de qualidade.

Resultado final: aumento da satisfação do cliente 

Como resultado final, a relação entre qualidade, logística e armazenagem é responsável por garantir e maximizar a satisfação do consumidor. Em primeiro lugar, o fato de os itens ficarem mais protegidos permite que a qualidade do que é entregue seja adequada e esteja dentro das especificações.

Além disso, menos custos e menor uso de espaço normalmente levam a preços mais competitivos. Aliando isso à qualidade, aumenta-se o valor agregado do produto oferecido.

Outra questão a ser considerada é que a logística acontece com mais eficiência e precisão. Isso permite não apenas que os clientes tenham os produtos mais rapidamente, mas também garante mais flexibilidade e atendimento a necessidades específicas. Como resultado, há muito mais satisfação de maneira geral.

Desse modo, é possível que o negócio tenha uma boa percepção e imagem de mercado, fidelizando clientes e atraindo mais facilmente novos consumidores. Portanto, uma armazenagem bem feita gera um efeito em cadeia que atinge e conquista o cliente final.

A relação entre qualidade, logística e armazenagem evidencia que o processo de armazenamento é um dos primeiros passos para uma logística eficiente e assertiva. Por isso, na hora de pensar em melhorar o nível, é importante considerar a armazenagem como um fator-chave e que faz diferença nos resultados. A partir disso, é possível para construir uma logística mais estruturada e, consequentemente, garantir a satisfação do consumidor.

Agora, conhecendo os efeitos da relação entre qualidade, logística e armazenagem e sabendo boas dicas para melhorar resultados, não deixe que o seu negócio fique obsoleto! Assine a nossa newsletter e veja como manter os seus processos sempre otimizados!

5 dicas de logística para sua empresa crescer mais e mais rápido

A parte logística de uma empresa é fundamental para a sua atuação e desenvolvimento. É somente com uma boa execução de processos nesse sentido que o empreendimento vai conseguir produzir, armazenar e entregar resultados para o cliente de maneira altamente competitiva e satisfatória.

Ao mesmo tempo, a logística traz desafios e precisa de uma boa execução para que seja possível vencê-los de maneira contínua. Do contrário, o negócio pode ficar estagnado quanto à sua capacidade de atendimento e também quanto ao atendimento das exigências dos clientes.

Pensando nisso, veja a seguir 5 dicas de logística para a sua empresa crescer mais e mais rápido.

Qual é o impacto de uma logística bem pensada?

Uma logística bem definida gera impactos positivos e consistentes em um negócio. Em primeiro lugar, ela é capaz de criar economia em muitos sentidos: há a diminuição de desperdícios e também a otimização de diversos fatores. Com isso, há ganhos em eficiência e quanto ao uso de recursos, o que leva à economia.

Outra questão é que ela também é capaz de produzir lucros maiores. A economia realizada garante um aumento da margem de lucro, mas também há questões como o aumento das vendas. Se a logística é mais robusta, a empresa consegue atender mais facilmente às necessidades de mais clientes.

Além de tudo, é algo que melhora a qualidade de produtos e serviços, o que gera mais satisfação por parte dos consumidores. Eventualmente, isso estimula a fidelização e o número maior de negócios fechados. Mais lucrativo e com mais qualidade, o negócio se torna mais competitivo e mais robusto para encarar o mercado.

Como usar a logística para fazer a sua empresa crescer?

Considerando que a logística é fundamental para um negócio, ao utilizá-la da maneira correta você vai conseguir fazer com que o seu negócio cresça. Mais do que isso, o empreendimento vai crescer mais rapidamente e de maneira sustentável.

Para tanto, é necessário adotar medidas como:

Realize o planejamento logístico

O planejamento logístico é essencial para dar visibilidade sobre todo o processo. Quanto melhor ele é, maiores são as chances de que o empreendimento consiga obter todas as vantagens de uma logística preparada.

Para tanto, é importante pensar em toda a cadeia de suprimentos e em seus componentes, de modo a compreender quais são os processos envolvidos nesse sentido. A partir daí, é necessário identificar uma ordem adequada para cada etapa.

Por exemplo: é possível planejar como acontece a compra de matéria-prima, a produção e, então, o armazenamento. A partir daí, define-se como o produto chega até o cliente e todas as etapas que devem existir para que seja ela considerada um sucesso. Isso evita, inclusive, que ocorram etapas desnecessariamente burocráticas e improdutivas.

Cuide do armazenamento de produtos

Por falar nele, o armazenamento de produtos (Caixa de Papelão) precisa de cuidado especial, ainda mais do ponto de vista do estoque em si. Se ele for feito da maneira incorreta haverá indisponibilidade de produtos para o cliente ou, no mínimo, demora para que a entrega seja realizada.

Sendo assim, é importante definir, por exemplo, onde vai acontecer o armazenamento. Para expandir sua logística e atender a mais clientes é possível estabelecer centros de armazenamento e distribuição em locais estratégicos.

Ainda é necessário defini quais são as condições adequadas de armazenamento e como acontece a entrada e saída de itens.

Acerte no manuseio de itens

Tanto do ponto de vista interno como do ponto de vista externo, o manuseio de itens deve ser outra etapa a ser planejada da maneira certa. Isso é fundamental tanto para ganhar em produtividade como também para proteger os itens.

Especialmente quando se fala de itens mais delicados, como produtos frágeis, é fundamental definir como os colaboradores devem fazer o manuseio. Para tanto, defina como deve ser feito o carregamento e descarregamento de veículos e como deve acontecer, também, o manuseio dentro do armazenamento.

Dê atenção às embalagens

Dentro do processo de logística da sua empresa, um elemento é especialmente fundamental: a embalagem. Ela é uma decisão importante porque, em primeiro lugar, influencia o manuseio e o armazenamento.

Uma embalagem de baixa qualidade coloca em risco a proteção do produto. Se ele for perecível, a embalagem errada colabora para a falta de segurança quanto ao item. Mesmo em outros casos, a embalagem errada pode significar perda de valor e até mesmo de utilidade do produto.

Quanto ao manuseio, a embalagem certa facilita o processo e oferece assertividade, qualidade e eficiência. Com isso, o transporte também se torna mais adequado e com resultados melhores.

Além de tudo, a embalagem tem impacto direto no consumidor final. Se for escolhida da maneira correta, ela gera atração e interesse por parte de quem compra, o que ajuda a posicionar o produto de uma maneira mais competitiva.

Com isso, a embalagem não ajuda apenas a logística em si do negócio, mas também o seu posicionamento de mercado de uma forma geral, o que colabora para o desempenho e crescimento do empreendimento.

Cuide do transporte e da entrega

Por fim, a última etapa da logística é o transporte, que fará com que o produto chegue ao cliente final. Ela tem grande impacto sobre os resultados quanto à satisfação do negócio, então é importante garantir que ela seja feita da maneira correta.

É preciso pensar em questões como a escolha correta do veículo e também a seleção e o planejamento de rotas mais adequadas. A partir daí, também dá para utilizar outros recursos, como sistemas de gestão de entregas, que garantem resultados mais satisfatórios.

Ter uma logística bem pensada faz com que o seu negócio se torne mais lucrativo, mais competitivo e, com isso, mais propício ao desenvolvimento acelerado. Para tanto, é preciso cuidar do planejamento como um todo, passando pelo armazenamento, manuseio e transporte. Para favorecer todos esses processos, a escolha da embalagem correta é indispensável porque, além de tudo, impacta diretamente a atração e interesse por parte do cliente final.

Agora que você já sabe quais dicas aplicar, que tal dividir esse conhecimento? Compartilhe esse post nas redes sociais e deixe mais gente sabendo sobre o assunto!

Transporte e logística: como o design do produto aumenta as vendas

Estamos acompanhando, principalmente nas duas últimas décadas, uma mudança na forma como todos os produtos são posicionados no setor varejista. O aumento considerável de marcas presentes nas gôndolas faz crescer também a competitividade, ao mesmo tempo que a internet cria nova pulverização da distribuição, gerando novos desafios de transporte e logística para todas as empresas que querem se manter em destaque.

Em qualquer um desses casos, um aspecto da produção, distribuição e venda de um produto é muito afetado por esta mudança, mas, muitas vezes, é mal planejado por empresas que não entendem a sua importância: o design de produto e embalagem.

Veja neste post como embalagens adequadas podem aumentar suas vendas e economizar dinheiro.

Ganhando nas duas pontas

Um bom design de embalagens faz a empresa ganhar dinheiro antes mesmo do produto chegar ao varejo. Quando falamos em design, pensamos muito em cores, letras e símbolos, mas é muito importante também ter soluções inteligentes para outras características, como formas, materiais e texturas.

Além de atrair mais clientes na ponta final da cadeia de produção, uma solução adaptada ao seu produto significa menos gasto e mais agilidade na confecção das embalagens, além de ganhar espaço tanto em estoque quanto no transporte.

Criando novas soluções para transporte e logística

É importante pensar no quanto as embalagens influenciam na performance de uma empresa antes mesmo de ela expor seu produto. O mundo está passando por uma transição, dos grandes comércios com distribuições centralizadas para a pulverização do varejo pela internet e seus estoques racionados.

A embalagem do seu produto deve ser versátil e eficiente para atender aos vários modos de estoque e transporte, sem que haja desperdício de espaço ou danos durante o manuseio.

Atraindo novos clientes

Com a parte logística resolvida, uma função que se faz cada vez mais importante para a embalagem é se tornar uma peça de marketing para o produto. As gôndolas dos supermercados são tratadas hoje como verdadeiros outdoors para as marcas expostas.

E não pense que a qualidade do seu produto é suficiente para vencer a concorrência. O ser humano responde primeiramente a estímulos visuais e, além disso, o cliente tem que ser convencido a experimentar para ter certeza de que o seu produto é realmente o melhor.

Um designer profissional usará a identidade visual da sua empresa e sua estratégia de marketing para condensá-los em uma embalagem que evidencie as qualidades do seu produto. O importante será destacar o seu espaço na prateleira dos demais, atrair o olhar e a curiosidade dos clientes em potencial.

Mudando hábitos

Assim como somos visuais, somos também seres de hábito. A maioria das pessoas tem dificuldade em experimentar novas marcas quando fazem compras. Por isso, é tão importante que a embalagem primária de um produto, aquela que ficará exposta no varejo, crie no consumidor uma das características mais importantes para a atração: a curiosidade.

Não se engane! Exceto quando recebem indicações de pessoas próximas, dificilmente os consumidores mudam de marca. Por isso, é tão importante que sua embalagem deixe-os intrigados, que pareça uma solução tão atrativa que eles considerem mudar de hábito.

Certamente, é para isso que trabalha todo o setor de marketing de uma empresa, criando peças publicitárias em diversas mídias para convencer o cliente. Mas é ali, em frente à gôndola, que ele fará sua decisão final. Uma boa embalagem será a porta de entrada para seu novo consumidor fiel.

Vendendo para quem não pode tocar o produto

As embalagens deixaram de ser apenas invólucros para se tornarem peças publicitárias, há não muito tempo, já no século XX. E assim que conseguimos estabelecer boas práticas de design que funcionavam nas prateleiras, temos que novamente nos adaptar.

As compras em lojas virtuais estão tornando o e-commerce cada vez mais importante na hora de planejar marketing, design, transporte e logística. Como desenvolver embalagens que atraiam seu público-alvo sem que as pessoas possam tocá-las, nem sequer vê-las em tamanho real antes de decidir pela compra?

Ao fazer questão de um bom design para a sua embalagem, a empresa consegue um produto que se destaque tanto presencialmente quanto em uma imagem ilustrativa na internet. Consumidores que compram online são mais suscetíveis às compras por impulso, por isso, uma boa embalagem neste mercado pode alavancar muito as vendas.

Sendo reconhecido de longe

Seja ao vivo ou pela internet, uma embalagem pensada como parte do branding de uma empresa, como parte da sua identidade, deve essencialmente manter a fidelidade do cliente.

O exemplo mais famoso desta característica é a garrafa da Coca-Cola. Seu formato é reconhecido no mundo inteiro, seja em silhueta, desenho ou estilizada. A própria forma da embalagem gera um sentimento de familiaridade no consumidor, tornando a sua compra quase instintiva.

Reconquistando o cliente depois da venda

Se já é difícil conquistar novos clientes, mais ainda é mantê-los fiéis ao seu produto. Convencê-los de que devem sempre comprar a sua marca para aumentar suas vendas de forma permanente, e a embalagem tem uma função importante nisso.

A relação do consumidor com a embalagem não termina quando ele efetua a compra. Como você já sabe, além de uma boa programação visual, o designer responsável por criar uma embalagem pensa em como ela será usada, o melhor material, o formato mais apropriado.

Um design de produto eficiente será mais um argumento quando seu cliente for indicar sua marca aos parentes e amigos. E lembre-se de que a indicação de alguém próximo é a forma principal de convencer pessoas a trocarem de marca.

As vantagens de um bom design de produto e embalagem são tantas que é difícil entender como algumas empresas não prestam atenção neste aspecto da sua cadeia de produção. Investir em embalagens adequadas atrai novos clientes, mantém os recém-convertidos, corta gastos na hora de produzir e otimiza transporte e logística do seu negócio.

Você já tinha pensado nisso? Se você tem alguma dúvida sobre como contratar uma empresa especializada, deixe sua pergunta nos comentários. Se você já contratou este tipo de serviço, conte-nos como foi sua experiência e como as suas novas embalagens influenciaram as suas vendas.

6 fatores fundamentais para ter uma marca de sucesso

Ter uma marca de sucesso não significa apenas vender muito, mas, também, conseguir se manter firme no mercado. Quando os clientes se lembram espontaneamente de uma marca ou se tornam fiéis a ela, trata-se de uma opção forte no nicho em que atua.

Para que isso seja possível, a construção desse elemento tem que ser bem planejada e contar com alguns elementos indispensáveis. Juntos, eles conseguem dar robustez à empresa e atraem cada vez mais clientes.

Para entender melhor, veja a seguir quais são os 6 fatores fundamentais para ter uma marca de sucesso.

1. Identidade visual sólida

A identidade visual de uma marca representa aquilo que o cliente vê primeiro e que vai se lembrar com mais pertinência. Uma cor marcante pode fazer com que o negócio se destaque dos demais, assim como a boa elaboração de um logotipo que possa ser memorizado facilmente.

Nesse sentido, as bases de uma marca de sucesso são construídas em cima de uma identidade visual coerente com a mensagem que o negócio deseja passar e com o tipo de produto que ela oferece.

O uso de elementos mais refinados ou mais jovens e de cores mais alegres ou mais sóbrias determina a percepção do cliente sobre a marca e é capaz de torná-la memorável ou não.

2. Uso estratégico de embalagem

Apesar de a identidade visual de um negócio ser importante para a construção da marca, ela é só o primeiro passo de tudo o que envolve a jornada de compra e, principalmente, de fidelização.

Não adianta a marca oferecer uma identidade visual autêntica e que chame a atenção se a experiência não for adequada. Nesse sentido, um dos primeiros pontos de experiência do cliente com a marca é a embalagem.

É ela que armazena o produto, que garante que ele chegue intacto e em segurança para o cliente e que também o atrai quando ele olha o item nas prateleiras. O fato de poder manusear a embalagem e observar cada detalhe comumente colabora para a venda do produto e, com isso, para o sucesso da marca.

Sendo assim, é fundamental pensar na embalagem a ser utilizada. Um produto que precise ser transportado pelo cliente, por exemplo, precisa ter uma embalagem condizente com essa característica. Se o produto vai ser vendido virtualmente, a embalagem é ainda mais fundamental para que chegue de maneira adequada às mãos do cliente.

Inclusive, a escolha também tem a ver com a logística. Uma embalagem de qualidade, resistente e com as dimensões corretas permite um transporte mais facilitado, com menos erros e que acontece de maneira mais fácil e mais rápida.

Tudo isso colabora para a satisfação do cliente, que vê na marca uma opção segura, confiável e de qualidade, o que favorece o sucesso.

3. Presença em vários canais

A divulgação da marca é responsável por garantir o seu alcance. Quanto mais pessoas a marca é capaz de alcançar, melhores tendem a ser os seus resultados de venda e também de reconhecimento.

Porém, não existe uma unanimidade sobre onde estão os clientes. Em geral, o público se divide em mais de um canal e um mesmo consumidor pode consumir mídias diferentes. É o caso de uma marca que vende para um público-alvo que assiste muita televisão, mas que também está conectado à internet.

Para atingir o maior número de pessoas possível e fixar a marca junto ao público, portanto, a presença em vários canais é indispensável. O ideal é construir uma estratégia de comunicação integrada, em que a marca consiga falar a mesma língua em canais diferentes de modo a construir uma experiência consistente.

4. Construção de relacionamento com o público

Tão importante quanto falar para o público é falar com o público. No mundo do consumo 2.0, os clientes não querem ser apenas ouvintes passivos, mas também querem se engajar, participar do debate e interagir com a marca.

Diante disso, é fundamental que a marca pense na importância e na necessidade de construir um relacionamento com o público. Com o avanço das mídias digitais, isso se tornou mais fácil e passou a ser possível com o uso das estratégias certas.

Uma boa presença nas redes sociais, por exemplo, ajuda o negócio a conversar com clientes e a manter um relacionamento mais estreito. Outras possibilidades incluem o uso de recursos como um site ou e-mail marketing e também de ações offline, como a estruturação de um processo de pós-venda.

5. Fidelização de clientes

Conquistar novos clientes é tão fundamental quanto encantar quem já comprou do negócio, fazendo com que essas pessoas retornem mais vezes. Com a fidelização, a marca gasta menos para conseguir as vendas e também se fortalece como sendo capaz de satisfazer os seus clientes a ponto de eles retornarem outras vezes.

De quebra, quanto maior é o investimento em fidelização, maior é o número de clientes que age como promotores e defensores da marca.

Para chegar a esse resultado, é necessário oferecer uma experiência consistente, de qualidade e que satisfaça as necessidades e desejos de quem compra. Isso gera uma percepção positiva de marca e leva, eventualmente, ao ganho de fidelização.

6. Valor agregado

O valor agregado também é importante para uma marca de sucesso. Trata-se de um valor intangível e que diz respeito a qual é o custo-benefício de se relacionar com a opção em questão.

Um valor agregado elevado significa que os clientes sentem que recebem mais do que aquilo pelo que efetivamente pagam, maximizando a satisfação.

Para conseguir um valor agregado maior, é necessário que o negócio pense em oferecer algo único e diferenciado, assim como deve maximizar a qualidade dos produtos. Nesse sentido, os outros fatores também desempenham seu papel — incluindo principalmente a embalagem, já que é um dos primeiros contatos físicos do cliente com a marca.

Os fatores fundamentais para ter uma marca de sucesso vão desde a identidade visual até o valor agregado. Como é responsável por oferecer, ao mesmo tempo, proteção do produto e atração do cliente, a embalagem é um dos elementos mais importantes, devendo ser escolhida de maneira criteriosa e sempre focada na qualidade.

Diante das informações acima, o que está faltando para a sua marca chegar ao sucesso? Conte para a gente nos comentários.

8 dicas para sua empresa atingir uma boa imagem empresarial

Uma grande grife internacional virou notícia por usar mão de obra escrava. Uma mineradora brasileira causou um dos maiores desastres ambientais da história. E uma multinacional que não remunera igualmente homens e mulheres chegou a ser notícia e alvo de questões trabalhistas.

Qualquer uma das situações acima pode prejudicar a imagem empresarial e, para reverter esse processo, levam-se anos (e até gerações).

Uma série de valores e atitudes está relacionada à boa imagem do seu negócio: há a dimensão ocupacional, ambiental, salarial, social, de inovação e muitas outras que influenciam na percepção das pessoas sobre a empresa.

Um quesito muito observado é a consonância entre a política e a prática da instituição. Não adianta ter um documento que mostre ações maravilhosas se a prática for diferente.

Confira, abaixo, 8 dicas para o seu negócio atingir uma boa imagem empresarial:

1. Valorize os funcionários

A valorização das pessoas que constituem a sua empresa deve ser uma prioridade sempre. Ter políticas de Recursos Humanos justas e equilibradas ajuda a reter os bons funcionários. Por isso, valorize aquilo que é positivo para o seu público.

Você só vai descobrir o que importa para os funcionários se estiver em contato com eles frequentemente. Faça pesquisas de clima, tenha canais abertos com os colaboradores e aproxime-se das comissões de funcionários para conseguir captar quais valores são importantes para eles.

Um erro constante acontece quando a empresa tenta adivinhar do que o funcionário precisa. Isso dá margem para oferecer benefícios que não correspondem à real necessidade dos funcionários. Os colaboradores ficam insatisfeitos e isso prejudica a imagem da empresa.

2. Tenha processos organizados

Nada mais desagradável do que uma empresa desorganizada. Manter os processos documentados, registrados e disseminados ajuda a instituição a ter uma imagem mais séria e perene diante do mercado.

Assim, qualquer decisão é tomada de forma embasada e os funcionários têm respaldo para participar e tomar conhecimento das ações. As questões trabalhistas e que envolvem a qualidade dos serviços ficam mais transparentes, o que contribui para uma melhor imagem da organização.

3. Aposte na dimensão social

Uma empresa não atua de forma isolada em determinada comunidade, cidade, estado ou país. Ela está imersa em um contexto que inclui problemas sociais próprios, impactos, peculiaridades e desafios.

Ter ações que contribuam para a dimensão social da comunidade onde a empresa está inserida impacta positivamente na sua imagem.

Promova ações de valorização das pessoas do entorno, por meio de iniciativas de capacitação voltadas à saúde, ao bem-estar, ao lazer e à cultura, que estejam diretamente ligadas ao negócio da empresa. Uma empresa não pode funcionar de forma isolada e deslocada de seu contexto.

4. Atue de forma sustentável

A sustentabilidade é uma bandeira que está em alta ultimamente. A questão ambiental não está apenas relacionada ao meio ambiente, mas à própria sobrevivência financeira da empresa.

Portanto, pensar em medidas e políticas que mantenham o seu negócio saudável no mercado também é ser sustentável. Os 20 objetivos do Milênio da ONU destacam a questão ambiental como primordial.

Qualquer atividade econômica traz algum impacto para o meio ambiente, por isso as empresas precisam estar atentas a esse fator. A Natura é um exemplo bem-sucedido de empresa que se preocupam com a questão ambiental, o que faz com que ela tenha uma das melhores reputações do país.

Para a extração de matéria-prima para seus produtos, a empresa pratica o reflorestamento de algumas áreas. A marca também optou por embalagens com menor quantidade de plástico, entre outras ações. Isso mostra que a questão ambiental faz parte do cotidiano da Natura.

5. Construa uma governança eficiente

Um planejamento elaborado com consistência, por uma empresa que tenha governança definida e seja atuante, tem mais valor no mercado. As empresas com governança sólida constroem uma reputação mais respeitada e têm ações muito mais impactantes.

Esse processo evita que um planejamento seja feito e não cumprido, impedindo também que seus dirigentes sejam colocados no poder sem critérios técnicos fundamentais, por exemplo.

6. Apoie a igualdade e a tolerância

Uma empresa não deve tolerar nenhum tipo de preconceito em suas propriedades. A tolerância étnica, social e de orientação sexual deve ser estimulada entre todos os funcionários da organização.

Isso pode ser feito por meio de políticas de valorização — como planos de carreira e promoções — que devem ser acessíveis a todos, indistintamente.

Ter mulheres, negros, indígenas e portadores de deficiência em cargos de liderança e com o mesmo nível salarial mostra que a empresa valoriza, acima de tudo, o valor profissional do colaborador e os seus resultados. Uma imagem forte no mercado também se constrói com equidade e tolerância. (Logística)

7. Estimule a formação e o crescimento dos colaboradores

Para conseguir uma reputação positiva, as empresas precisam se importar com o crescimento de seus funcionários. Apresentar políticas que incentivem a capacitação, a formação continuada e o crescimento interno mostra que não é apenas dar o emprego que importa, mas oferecer condições de ascensão para os colaboradores.

Quem tem um time mais capacitado e oferece esse tipo de estímulo tem uma imagem mais positiva diante do mercado. Além disso, atualmente, ter um único emprego durante toda a vida é algo muito raro, diferente da realidade de outras gerações.

Portanto, oferecer condições de ascensão interna é uma forma manter o colaborador por mais tempo na instituição. Ganha o funcionário e ganha a empresa que é capaz de reter os talentos.

8. Acrescente ao mercado

Não basta que a sua empresa exista: é preciso fazer a diferença nesse mercado. Isso se constrói com políticas de concorrência legais, que fortaleçam o mercado sem desmerecer os clientes.

É preciso também estar atento aos órgãos de defesa do consumidor e às entidades de classe, acompanhando as discussões dos diferentes grupos e contribuindo da forma que for possível.

Trabalhar para que sejam criadas políticas públicas que contribuam com o setor também é válido. Participar das ações da Câmara de Vereadores da cidade ou da Assembleia Legislativa para fazer parte das discussões acerca das leis relacionadas ao setor é um papel importante dos gestores.

Como se percebe, diversas dimensões compõem a imagem de uma empresa e é preciso atuar constantemente por meio de ações eficazes e de marketing para manter uma reputação positiva.

As campanhas de marketing têm a função de mostrar à sociedade o que é desenvolvido pela empresa. Esse é um papel importante, pois não basta fazer: é importante contar o que foi feito.

Na sua opinião, há mais algum fator fundamental para a imagem empresarial? Deixe seu comentário abaixo!