Apresentação do produto no stand de vendas: por que importa?

Quem trabalha com marcas de varejo sabe o quanto é difícil fazer a sua mercadoria se destacar no ponto de venda e se tornar a escolha final do consumidor, já que a concorrência é acirrada. Nesse momento, a apresentação do produto é fundamental, pois é ela que vai despertar o interesse inicial no cliente.

A montagem de um stand de vendas é uma excelente forma de apresentar uma nova mercadoria ou reposicionar uma marca já conhecida, por exemplo. Entretanto, alguns pontos devem ser bem planejados antes de esse tipo de ação ser colocada em prática, a fim de evitar prejuízos para o seu negócio. Confira!

A praça e o espaço ideais

Na hora de pensar na apresentação do produto, o gestor responsável deve se preocupar também com todo o processo logístico que o envolve. Isso vai desde o transporte seguro da mercadoria até a escolha dos pontos de vendas.

Para que o item seja visto pelo seu público-alvo, ele deve ser encontrado nos locais frequentados pelos consumidores. Conhecer o perfil de quem consome o seu produto, e dos compradores em potencial, é fundamental para saber como chegar até eles.

A negociação de espaços específicos nos pontos de vendas também pode ser uma boa estratégia para que o seu artigo seja melhor apresentado, despertando a curiosidade de quem ainda não o conhece ou a lembrança de quem já o experimentou e gostou.

O alinhamento do vendedor

Caso o stand de vendas conte também com a presença de um vendedor, a apresentação do profissional também deve ser muito bem cuidada. Além de estar com uma roupa adequada, o vendedor deve conhecer profundamente o produto e buscar entender as necessidades de cada cliente, para criar um discurso eficiente e orientado à venda.

O ideal é que o profissional demonstre os pontos fortes da mercadoria, alinhando-os com os anseios e expectativas do consumidor, fazendo com que ele enxergue no item oferecido a solução certa para o que precisa.

No caso de artigos alimentícios, ações com degustações costumam fazer bastante sucesso e quebrar a resistência que o público tem em experimentar novas marcas.

Material promocional

A comunicação visual do stand deve ser chamativa e criativa, já que é ela que vai despertar o interesse do público em um primeiro momento. As cores da marca devem ser trabalhadas de forma a se tornar familiar na mente do consumidor.

O material promocional utilizado em todo o ponto de venda deve conter imagens de qualidade e em boa resolução, evitando aquele aspecto amador, que transmite pouca credibilidade ao comprador.

O stand não deve ser apenas bonito, ele também precisa ser funcional. Tome muito cuidado para não obstruir a passagem das pessoas e o transporte de mercadorias.

A organização também deve fazer parte da estratégia, já que ninguém gosta de ver um ambiente bagunçado. Deixar os produtos expostos de maneira correta, sempre bem alinhados, de acordo com o layout planejado, é mais uma ferramenta para o sucesso da ação.

Caso você opte pela distribuição de brindes no ponto de venda, certifique-se de que eles estão estritamente conectados com o que você vende e com o perfil do consumidor da sua marca. Assim, você garante que a mensagem transmitida pela sua empresa seja eficiente e o investimento bem-feito.

A embalagem perfeita

O fato é que a embalagem é a primeira coisa que chama a atenção do cliente no stand de vendas, e é por isso que ela deve ser feita com muito estudo, pesquisa e planejamento. Isso garantirá que o seu público-alvo a encontre, identifique-se com o seu conteúdo e confie nas informações trazidas nela.

Quando nos colocamos no lugar de quem faz as compras, percebemos melhor o quanto essa apresentação faz a diferença. Afinal, não queremos adquirir produtos de aparência duvidosa ou que omitem sua composição da embalagem, especialmente quando se trata de alimentos.

A embalagem é o primeiro contato do consumidor com a mercadoria, e se ele não sentir confiança no que ela transmite, as chances de venda diminuem drasticamente. Nesse ponto, o gestor também deve se atentar ao cumprimento da lei, analisando se a embalagem contém todas as informações obrigatórias referentes ao que está sendo comercializado.

Você já pensou que a embalagem pode ser o diferencial do seu produto? Muitas vezes, a mercadoria que comercializamos, apesar de ser de qualidade, pode não ter nenhum atrativo que a diferencie da concorrência.

Nesse caso, a embalagem se torna ainda mais importante, pois dá grande chance de o seu produto se destacar.

Criar embalagens práticas e funcionais, que facilitam o dia a dia do consumidor, é uma ótima maneira de diferenciar a mercadoria e aumentar a sua fatia de mercado. Considerar a hipótese de vender o item em porções diferentes, maiores ou menores, também é uma chance de destacar o produto. Mas, antes de qualquer mudança, faça pesquisas e valide os resultados.

Porém, lembre-se de que a primeira função da embalagem é manter a integridade do produto e impedir que ele estrague ou se desfaça, por exemplo.

Por isso, antes de colocar em prática uma ideia esteticamente incrível e inovadora, você deve se perguntar se ela vai cumprir a sua função principal. Se a resposta for positiva, vá em frente!

A embalagem também é um dos principais componentes para a fidelização do cliente, que por meio dela reconhece a marca facilmente e sempre a procura no ponto de venda. Por esse motivo, reformulações de marca e embalagens devem ser planejadas, testadas e aprovadas antes de chegarem em grande escala ao consumidor final.

Contar com os serviços de uma equipe profissional e especializada em design de embalagens é um investimento necessário para o desenvolvimento de uma marca que transmita beleza, profissionalismo, criatividade e credibilidade.

Além do mais, uma empresa de design de embalagens oferece o know-how necessário para desenvolver peças estratégicas, que preencham todos os requisitos de uma boa embalagem: proteção, logística, branding e sustentabilidade.

Gostou deste artigo sobre a importância da apresentação do produto e quer se manter atualizado com as novidades do nosso blog? Então, assine a nossa newsletter!

As principais tendências de embalagens para 2017

Embalagens não transportam somente produtos, mas também experiências. Ser influenciado pelo formato ou pelas cores da caixa, mesmo sem saber o que está dentro dela, já é um comportamento comum, responsável por interferir até mesmo nas decisões de compra do consumidor.

Por isso, conhecer as últimas tendências de embalagens tornou-se indispensável para as marcas. Em 2017, as embalagens estão conquistando novas funcionalidades, ampliando a participação do branding e a experiência de compra dos consumidores.

Isso nos mostra que desenvolver um layout bonito não é mais suficiente para se destacar em relação aos concorrentes e impressionar o público. Felizmente, é possível observar tendências de embalagens que são úteis para sua empresa ampliar os lucros, relacionando-se melhor com o cliente.

Veja algumas inspirações:

Tecnologia QR code

Engajar o público por meio de uma embalagem é um desafio que, aos poucos, vem sendo superado com sucesso.

Um excelente exemplo são as embalagens com QR code, ou seja, embalagens ou rótulos que utilizam códigos de barras em 2D que podem ser escaneados por smartphones, transmitindo mensagens e podendo conduzir a um site da Internet, por exemplo.

Em outras palavras, esses códigos vão além do rótulo e repassam informações valiosas sobre o produto a ser adquirido, incluindo processos de produção ou outros dados que reforcem a marca para o consumidor.

A principal proposta da embalagem inteligente é aproximar, cada vez mais, o consumidor final do produto em questão, criando um vínculo mais duradouro e transparente. Desse modo, a tecnologia é utilizada como uma grande aliada no processo de fidelização.

Cores fortes e vibrantes

As cores sempre terão um papel fundamental na concepção das embalagens. Ao servirem como estímulos psicológicos — considerando que cada cor provoca sensações diferentes em nosso inconsciente —, as marcas têm investido constantemente em embalagens com cores vibrantes.

O objetivo é aumentar a percepção do consumidor e ajudá-lo a identificar com mais facilidade a sua marca.

Ainda que as texturas orgânicas, tropicais, glitch e laser cut sejam as mais utilizadas no momento, segundo o relatório de tendências criativas do ShutterStock, é provável que as cores quentes sejam dominantes, responsáveis por destacar produtos nas prateleiras e nos meios digitais.

Letras manuscritas

A embalagem também é um veículo de comunicação. Por isso, até mesmo as suas fontes precisam ser bem definidas para conseguir repassar os verdadeiros interesses da marca.

Apesar de o minimalismo ter alcançado um lugar de destaque na preferência popular, as letras customizadas ou manuscritas também estão superando as expectativas e apresentado excelente aceitação quando reproduzidas nas embalagens.

Considerada uma tendência mundial, esse tipo de escrita vem sendo utilizada principalmente para transmitir uma ideia artesanal. De qualquer forma, a tipologia manuscrita já pode ser encontrada em diferentes embalagens, emprestando a elas um design exclusivo.

Cortes e formatos diferenciados

Receber uma embalagem que surpreende, antes de desembalar o produto, é uma experiência que vai além da compra para o consumidor.

Mas proporcionar essa surpresa também depende de ousadia e de criatividade. Por isso, algumas marcas já oferecem embalagens com cortes diferenciados, envolvendo inventividade, bom humor e acabamentos caprichados, ao contrário das tradicionais caixas tão comuns no mercado.

Versões de embalagens customizadas

Sem dúvidas, as embalagens customizadas causam maior interação com o consumidor, despertando novos interesses sobre o próprio produto adquirido.

Além disso, oferecer caixas personalizadas é uma ação que agrega mais valor à marca, o que também permite se destacar entre os demais concorrentes presentes no mercado.

Como você pode perceber, a personalização é uma tendência revolucionária, sendo uma ferramenta indispensável para atrair cada vez mais o consumidor.

Rótulos simples e minimalistas

Apesar de as tecnologias e as inovações dominarem o mercado, as versões minimalistas ainda são consideradas uma das tendências de embalagens mais replicadas e aceitas pelo público.

O design clean também é uma poderosa ferramenta de compra, pois, por meio dos poucos detalhes que ele apresenta, diversas pessoas realizam a compra com maior objetividade, influenciadas pela simplicidade que o próprio rótulo transmite.

Esse é o caso de embalagens que priorizam a mensagem e ajudam o consumidor final a comprar exatamente aquilo que ele precisa, sem transparecer nenhuma dúvida no seu ato.

Eliminando o excesso de cores e de informações, essa tendência visa aproximar o cliente da marca a partir de uma interação mais transparente, utilizando apenas recursos mais simples, como gráficos, mensagens e ilustrações.

Embalagens com detalhes

Já ouviu falar que a beleza está escondida nos detalhes? Essa frase faz todo o sentido quando estamos falando sobre as embalagens que impactam o consumidor final, transmitindo uma mensagem exclusiva.

Ao contrário de muitas marcas, essa tendência investe em detalhes que são mínimos ou não estão expostos visualmente, simplesmente para emocionar o público.

Descobrir esse detalhe é uma experiência que justifica o ato de compra, seja em mensagens escondidas, rótulos que viram livros, embalagens que mudam de cor, entre outros processos que são interessantes para a experiência do consumo.

Normalmente encontradas em embalagens premium, esses detalhes são capazes de agregar mais valor ao produto, tanto de forma econômica quanto emocional.

Abordagem sustentável

Você já deve ter percebido que o comportamento dos consumidores mudou, da mesma forma que suas preferências de compra. O próprio consumo sofreu algumas alterações, acrescentando novos valores e preocupações ambientais que são exigidas até mesmo das empresas que fabricam embalagens e demais produtos.

Além de a sustentabilidade ser uma estratégia inteligente de mercado, exibir essa informação nas embalagens é importante para melhorar o relacionamento das marcas com os consumidores. Por isso, é muito comum empresas descreverem em suas embalagens os materiais utilizados, processos de reciclagem e ações que ajudam a tornar o planeta um ambiente melhor para todos nós.

Utilizar a embalagem como veículo de informação, utilizando a abordagem eco-friendly, também ajuda a aumentar a credibilidade da marca, ainda que o produto custe mais caro.

Como mostramos, 2017 reserva muitas tendências de embalagens para você inovar e surpreender os seus consumidores.

Que tal aproveitar a sua visita em nosso blog e continuar aprendendo mais assuntos interessantes como esse? Basta curtir a nossa página do Facebook e ficar por dentro das últimas novidades para otimizar os seus negócios!

5 dicas de logística para o setor de alimentos

O transporte é uma das etapas mais importantes para o fornecimento de produtos — afinal, ele é a ligação entre fornecedores e empresas. Justamente por isso, lidar com o seu gerenciamento demanda experiência e atenção aos mínimos detalhes. Apenas assim é possível potencializar a logística para o setor de alimentos e gerar resultados positivos.

Na verdade, o transporte conecta todas as etapas da cadeia alimentícia, desde a produção primária dos alimentos, processamento, manuseio e distribuição, até os fornecedores e empresas.

Por isso, para ajudar você, gestor de compras e marketing, a melhorar os seus resultados e segurança na armazenagem e transporte, elaboramos este artigo com 5 dicas práticas de logística para o setor de alimentos! Interessado? Então, continue lendo e confira!

1. Conheça as necessidades dos produtos

Em primeiro lugar, é fundamental mostrar para toda equipe a importância do transporte nas cadeias alimentícias, explicando quais são as implicações nos casos em que deficiências não são observadas e corrigidas.

Assim, treine sua equipe para apontar as possíveis alterações de qualidade e os perigos quanto aos termos de segurança alimentar. Também é imprescindível deixar claro o cumprimento categórico da legislação e da regulamentação destinada ao transporte de produtos alimentícios.

Além disso, o gestor de logística de alimentos deve ter o conhecimento sobre os tipos de transportes que são necessários para a correta execução das atividades. Nesse sentido, os transportes relacionados a produtos alimentícios são divididos em:

  • matéria-prima e hortifrutigranjeiros: que requerem refrigeração ou transporte em temperatura controlada;
  • matéria-prima e hortifrutigranjeiros não refrigerados: como o próprio nome já específica, aqueles que não precisam de refrigeração;
  • alimentos estocáveis, processados ou manufaturados: que não demandam cadeia fria, mas que precisam de proteção contra possíveis intempéries;
  • alimentos prontos para servir: ordenam manutenção de temperatura quente para diminuir os riscos de surgimento de micróbios ou fungos.

2. Foque na armazenagem e prepare a equipe para esta etapa

Os processos de armazenagem também precisam de muito cuidado e preparo da equipe de logística. Isso porque os alimentos são manuseados várias vezes no momento do armazenamento, o que aumenta a probabilidade de danos à sua embalagem original.

É necessário, portanto, que todas as instalações físicas do setor, bem como os equipamentos e os processos de recebimento e expedição, estejam apropriados para as operações. Vejamos, então, cada um destes aspectos:

Equipamentos

Os variados equipamentos de carga e descarga da área de logística devem estar bem adequados para esse manuseio dos alimentos. As máquinas necessárias para tal trabalho requerem sistemas antivibração, além de serem controlados por trabalhadores aptos.

Instalações

Para o armazenamento de produtos perecíveis, o ideal é que o setor possua instalações que preservem as temperaturas indicadas para os alimentos. Além disso, a higienização também deve ser algo constante nas instalações.

Todas essas são medidas necessárias para diminuir os riscos de contaminação dos alimentos e seguir os padrões designados pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Estocagem

Quanto à logística para o setor de alimentos, os líderes da área devem priorizar o aproveitamento do maior espaço possível. Afinal, eles precisam deixar espaços sobrando entre os paletes onde são colocados os produtos, para que a mercadoria fique ventilada e de fácil acesso.

Nesse sentido, um ponto crucial no armazenamento de alimentos é implantar e seguir o sistema do FEFO — First Expire First Out ou, em tradução livre, “o primeiro que vence é o primeiro que sai”.

3. Entenda a importância das embalagens da gestão de estoque

Sem dúvida, o tipo da embalagem é um dos primeiros grandes fatores a ser considerado quando falamos do transporte de alimentos.

Mas é importante frisar que, quando falamos “embalagem”, não estamos focando apenas as caixas onde são colocados os alimentos, mas também os paletes, contêineres e contentores que são utilizados para acomodar as mercadorias desde a armazenagem e o transporte até chegar ao ponto de venda.

Nesse caso, as embalagens podem ser classificadas como:

  • primárias: embalagens primárias são aquelas que servem para empacotar os alimentos. São as conhecidas “sacolinhas plásticas”, disponibilizadas no varejo para o cliente final;

  • secundárias: embalagens secundárias podem ser as bandejinhas ou os filmes que embrulham os alimentos para que estes cheguem em ótimas condições nos pontos de venda;

  • terciárias: as embalagens terciárias são os receptáculos que abrigam as embalagens secundárias, possibilitando o manuseio da mercadoria nos processos de transporte e do armazenamento;

  • quaternárias: essas são os paletes padrão — que, por sua vez, utilizam as embalagens terciárias no momento do transporte;

  • quinárias: já as quinárias são aplicadas para o transporte. Podem ser os contêineres refrigerados ou isotérmicos padrão, ou até as embalagens especiais.

4. Aplique ações preventivas

Com o intuito de diminuir a ocorrência de contratempos, faz-se necessária a aplicação de um checklist, para garantir as condições ideais para os produtos. Quanto a isso, vejamos alguns itens que devem ser verificados:

  • descarregar a mercadoria apenas em condições favoráveis;
  • confirmar a estabilização térmica do produto quanto ao interior do veículo, antes de fazer a expedição da mercadoria;
  • alocar a carga dentro do veículo ou em contentores, de maneira a permitir a circulação de ar de forma adequada;
  • verificar a calibragem dos medidores de temperatura do veículo e os externos;
  • após a descarga, colocar sem demora o produto armazenado em câmaras que conservem a temperatura correspondente indicada para a conservação do alimento;
  • verificar se a higienização do veículo de transporte corresponde às normas indicadas;
  • assegurar que os fornecedores e a equipe de logística estão cumprindo as práticas corretas de manipulação, de forma que garantam a integridade das embalagens dos produtos.

5. Aplique ações corretivas, se necessário

Por fim, no caso de descumprimentos das medidas preventivas, não fique receoso em aplicar medidas corretivas. Nesses casos, notifique o fornecedor ou a transportadora sobre as inconsistências encontradas, faça os ajustes e receba as mercadorias.

Deixe claro para todos os seus fornecedores e parceiros que a qualidade é um valor de sua empresa e algo inegociável. Se os danos comprometeram — ou comprometerão — a qualidade do produto, por exemplo, não hesite em devolver ou descartar a mercadoria.

De toda forma, conte sempre com uma equipe de controle de qualidade e treine todos os colaboradores com orientações básicas para identificar e agir imediatamente para evitar perdas e avarias.

Enfim, garantir excelência na logística para o setor de alimentos é um desafio. Existem muitas variáveis, e é preciso estar atento aos fatores internos — como estoque e armazenagem — e externos — como embalagens, recebimento e transporte. Por isso, siga essas nossas dicas e aumente as suas chances de sucesso na logística!

E então, gostou deste artigo? Tem alguma dúvida, ou sugestão sobre o tema? Deixe-nos o seu comentário e divida a sua opinião conosco!

Confira 9 apps de logística que podem ser úteis na sua empresa

Vivemos a era da transformação digital. Nesse cenário, a comunicação tem desempenhado papel essencial no gerenciamento de qualquer empresa. E os aplicativos de celular têm sido importantes nos negócios, ajudando na gestão financeira, no controle de estoque e no gerenciamento de tarefas, entre outros.

Quando falamos em logística, o controle é imprescindível: é ele que vai favorecer o rendimento do trabalho e a ausência de problemas posteriores. Além de melhorar a eficiência, a versatilidade dos aplicativos pode ajudar a aumentar a produtividade.

Selecionamos alguns apps de logística que podem ser bastante úteis no universo da logística: do transporte de cargas às necessidades do dia a dia, permitindo atualizar ocorrências, verificar tarefas, enviar fotos, visualizar mapas, entre outras funcionalidades. Confira:

Cargas

1. Controlog

Para empresas de transportes, saber o que já foi entregue e o que ainda falta entregar faz toda a diferença. Um aplicativo de baixa de entregas ajuda a manter esse controle. Sem um sistema de comunicação entre os responsáveis pela entrega e a central, é preciso esperar o retorno do entregador para atualizar os dados.

O uso do telefone para o compartilhamento dessas informações é ineficiente em razão de seu alto custo. Um aplicativo específico, ao contrário, coloca as informações ao alcance de todos, o que otimiza o tempo de trabalho: previsões de entrega e atrasos são mais facilmente controlados. Disponível para Android, o aplicativo é gratuito.

2. TruckPad

Se, antes, era o agenciador que aproximava transportadoras e caminhoneiros, agora é o TruckPad que faz essa mediação. O funcionamento é simples: o caminhoneiro inclui seus dados e informa quais regiões pretende atender. Em seguida, passa a receber ofertas e escolhe as que são do seu interesse.

Já as empresas, só precisam informar diretamente no aplicativo as características do frete para receber uma lista de caminhoneiros disponíveis para fazer o serviço. Depois, enviam a oferta de carga para fechar negócio no chat do aplicativo.

O sistema permite que o caminhoneiro compartilhe sua localização com o cliente e até acompanhe notícias sobre o trajeto que percorrerá. É gratuito e está disponível para Android e iOS.

3. SontraCargo

De forma semelhante ao que faz o TruckPad, o SontraCargo ajuda os caminhoneiros a encontrarem os fretes mais próximos ao seu caminhão. Trata-se de uma ferramenta bastante útil, tanto para o caminhoneiro quanto para o cliente.

Como têm acesso mais rápido aos motoristas autônomos, as transportadoras passam a ter processos mais ágeis e produtivos, principalmente em períodos de pico, quando a oferta e a demanda ficam desequilibradas.

O uso do aplicativo ajuda a diminuir esperas, permite que o caminhoneiro dispense os agenciadores e facilita na busca de cargas disponíveis em seu trajeto para não fazer retornos de rota com o caminhão vazio. Está disponível para Android e é gratuito.

4. Quero Frete

Ferramenta voltada para caminhoneiros autônomos: é possível encontrar fretes de acordo com o tipo de veículo e a localização.

Por meio do aplicativo, o motorista pode negociar o serviço diretamente com a empresa. Está disponível para Android e é gratuito.

5. TNT Radar

Esse é o aplicativo da transportadora de encomendas expressas TNT. O usuário pode rastrear o andamento de cargas rodoviárias domésticas a qualquer momento, diretamente no celular.

O sistema identifica o dia do pedido, a localização da carga, suas movimentações e seu status. Todas as informações são repassadas em tempo real. É gratuito e está disponível para Android, iOS e Windows Phone.

Entregas rápidas

6. SpeedyBoy

Esse aplicativo ajuda a encontrar motoboys nas proximidades para atender a demandas de qualquer empresa.

O sistema usa geolocalização e torna mais ágeis a coleta e a entrega de documentos e objetos. Além disso, permite acompanhar a rota do motoboy. Disponível para Android, o aplicativo é gratuito.

7. Rapiddo

Concorrente do SpeedyBoy, o Rapiddo busca motoboys e bikers para entregas rápidas. No aplicativo, além de encontrar um profissional para fazer o serviço, é possível pagar e acompanhar o trajeto do entregador com facilidade.

Na plataforma, é possível solicitar tanto serviço imediato quanto agendar entregas. Está disponível para Android e é gratuito.

Trânsito e serviços

8. Waze

Empresas que têm transporte próprio, em geral precisam fugir de congestionamentos, principalmente em grandes metrópoles. O Waze ajuda o motorista a encontrar rotas alternativas, para reduzir atrasos e aumentar a eficiência e a produtividade.

O aplicativo combina os dados de localização do GPS com informações compartilhadas por usuários, que enviam alertas de acidentes, vias bloqueadas, pontos de congestionamento e demais informes que ajudam os motoristas a desviar para não ficarem parados. Disponível para Android e iOS, o aplicativo é gratuito.

9. JSL

Com esse aplicativo, é possível localizar lojas da rede Movida Rent a Car, filiais da JSL e postos de combustíveis conveniados. O sistema permite, ainda, traçar rotas até determinado destino.

Para caminhoneiros, o aplicativo oferece a visualização de cargas da JSL disponíveis e permite que eles se candidatem para transportá-las. Quando estiver em serviço, o motorista vê a rota até o destino com informações e contatos do cliente. Está disponível para Android e é gratuito.

E aí, gostou de conhecer apps de logística que podem ser úteis na sua empresa? Deixe o seu comentário contando a sua experiência ou expondo a sua dúvida. Queremos ouvi-lo!

7 dicas do mercado de embalagens

Em algum momento você já pensou nos atributos que possuem as embalagens? Elas possuem muitas funções como conter, proteger, facilitar o manuseio e também o translado dos produtos. Para o time de marketing, compras e vendas, o mercado de embalagens vai além, pois melhora a imagem e aumenta o valor agregado do produto.

Seja sacola, papel de presente ou caixa, elas necessitam de um aspecto visual diferenciado para sua marca ter maior atração do cliente. É um componente decisivo para o sucesso comercial de qualquer produto. O consumidor é fortemente influenciado por elas, pois representam um vendedor silencioso.

Veja agora 7 dicas para tornar as suas embalagens inesquecíveis e alavancar as suas vendas.

1. Personalize suas embalagens

Para pessoas comuns, falar em embalagens personalizadas pode ser algo óbvio, que não merece tanta atenção, mas para profissionais da área pode ser uma grande oportunidade de criar uma estratégia de negócios.

O mercado de embalagens possui algumas particularidades e deve ser trabalhado no sentido de aproximar o cliente do universo da loja, fazendo com que a sua embalagem tenha a cara da empresa que representa.

Explore bem seu logotipo e foque nas cores que você usa em sua empresa. Mais do que proteger o produto, a embalagem deve ter a capacidade de atrair o consumidor, despertando o desejo de consumir.

A embalagem bem personalizada deve andar junto com a identidade visual do produto, destacando as suas características.

Datas comemorativas e eventos sazonais são grandes oportunidades para personalização das embalagens, fazendo com que o cliente tenha uma boa impressão do seu negócio.

Investir na personalização das embalagens não é um gasto, mas um investimento, alavancado vendas e aumentando a visibilidade das empresas.

2. Mantenha a embalagem pequena e leve

É essencial que a embalagem seja leve e tenha dimensões reduzidas, com design criativo e atrativo, sem exageros, passando segurança aos clientes.

A embalagem também deve ser flexível e proporcionar praticidade, sendo fácil de abrir e de fechar e “vestir bem o produto”, ou seja, adequando-se às suas dimensões.

Outra característica para a escolha de embalagens pequenas e leves está relacionada à redução dos impactos ambientais. Quanto maior o volume das embalagens, maiores os custos agregados, tanto na fabricação quanto no tratamento dos resíduos.

Um ponto a ser levado em conta também são os custos operacionais. Embalagens leves e pequenas precisam de menos espaço para armazenamento e são mais baratas.

A empresa economizará recursos, que poderão ser aplicados em melhorias que possibilitem tornar a experiência de compra cada vez melhor.

3. Lembre-se de agregar a nota fiscal

Muitos não sabem, mas a emissão de nota fiscal na compra de um produto ou serviço é obrigatória, tanto nas transações presenciais como nas feitas on-line. É um item essencial nas transações realizadas.

Para aqueles que trabalham com e-commerce, agregar a nota fiscal na embalagem é essencial para dar credibilidade ao empreendimento. O cuidado deve ser redobrado, haja vista que a entrega é postal e a falta de uma nota pode trazer graves problemas no pós-venda.

4. Imprima etiquetas com informações

As informações são essenciais, especialmente se você trabalha com vendas não presenciais, seja por e-commerce ou televendas.

É preciso que a embalagem identifique o cliente, traga o endereço, número do pedido e informações que facilitem o contato do consumidor como telefone, e-mail ou outro canal de relacionamento.

Nada de escrever o nome do destinatário com caneta de forma relaxada. O ideal é a impressão de adesivo ou etiquetas, onde as informações do cliente serão digitadas previamente. Isso agrega valor ao produto e oferece maior confiança ao cliente na hora de procurar novamente pela sua loja.

Se você possui um contrato com os correios, terá acesso ao endereçador, um sistema que permite a impressão de etiquetas já com o logotipo de sua loja.

Caso suas vendas se concentrem apenas em loja física, capriche no logotipo e insira as redes sociais, filiais e todos os canais de comunicação de sua loja.

5. Conheça bem a gama de produtos que oferecerá

É importante ter domínio das características de seu produto para que as embalagens atendam às propriedades físicas como peso, dimensões e sua resistência.

Esse entendimento facilitará a logística e o processo de compras. Se o mix de produtos for grande e as características distintas, diversos tipos de embalagens devem ser confeccionadas.

6. Capriche nas dobras e no arremate final se você trabalha com vestuário

Na área de vestuário, o mercado de embalagens está intimamente ligado à fixação da dobra do produto, permitindo um bom acabamento. Isso só é permitido por meio de papéis especiais como a seda, por exemplo.

A atenção na dobra evita que o produto amasse, o que é muito importante. O arremate final feito de forma correta e cuidadosa faz com que o cliente fique com uma boa impressão ao abrir sua encomenda.

Neste segmento, não adianta um produto com bela embalagem e com péssima dobra, pois o produto chegará amassado e mal apresentado, gerando uma imagem negativa do produto e da empresa.

7. Invista em embalagens ecológicas

O consumidor está cada vez mais preocupado e envolvido com questões ambientais, o que tem motivado muitas pessoas a priorizar e até recomendar empresas que apresentam ações voltadas para a sustentabilidade.

Entre os produtos que são usados para esse fim estão o papel kraft, algodão cru, tecido de PET e TNT. Com relação ao papel kraft, que é muito utilizado em sacolas retornáveis, é necessário lembrar que se deve adquirir o produto de empresas que realizam reflorestamento.

As ecobags são criadas com a função específica de substituir as sacolas plásticas de supermercados, que são de difícil degradação. Produzidas por lona ou outros materiais como garrafa PET, representam grandes veículos de marketing sustentável, atendendo a um público ávido pelas práticas ecologicamente corretas.

É importante perceber que o mercado de embalagens é uma área que agrega ao produto visibilidade e que faz com que a sua utilidade esteja além da proteção. Pode ainda servir como um excelente canal de marketing, gerando aproximação com o consumidor e aumentando o engajamento e as vendas.

Gostou das dicas sobre o mercado de embalagens? Curta a nossa página no Facebook e fique por dentro das novidades em primeira mão!

O que é design sensorial?

De forma breve, podemos definir o design sensorial como o processo estratégico de criar projetos em que a experiência de marca desencadeia reações de um ou mais sentidos, evocando uma resposta intuitiva. Mas, na prática, o que isso realmente significa?

Você já deve ter ouvido falar nele e é bem provável que já tenha experimentado um pouco de suas vantagens, mas talvez nunca tenha buscado entendê-lo melhor. Por isso, preparamos esse post com todas as informações necessárias para você e seu negócio usufruírem desse tipo de design. Confira:

Os sentidos como porta de entrada da percepção

Nós, seres humanos, vemos o mundo através da lente de múltiplos sentidos, que interagem e nos ajudam a construir compreensão sobre o universo ao nosso redor. Quando decidimos realizar uma compra ou interagir com uma marca, isso não poderia ser diferente: é por meio dessas entradas sensoriais que descobrimos o que devemos comprar ou deixar na prateleira.

Foi pensando na maneira como absorvemos informações que surgiu o design sensorial. Esse conceito nasceu quando as empresas notaram que deveriam aprender a comercializar seus produtos com todos os cinco sentidos em mente. É graças a ele que entendemos que um produto de design multissensorial é capaz de produzir uma experiência de consumo melhor e mais completa.

Em última análise, são essas experiências aprimoradas de consumo que determinam nossa fidelidade a uma marca. O design sensorial é, portanto, a combinação de todos os nossos sentidos para fornecer uma única mensagem sobre uma empresa e seus bens de consumo.

Design sensorial e a experiência de marca

Quando falamos em marcas, é fácil associá-las a um logotipo, um conjunto de cores, imagens e ícones, mas não é necessário tê-las como construções exclusivamente visuais. A verdade é que as grandes empresas sabem tirar proveito de uma marca para além disso.

Você já entrou em uma loja e teve a impressão de estar em um ambiente completamente diferente, com um cheiro característico, além de texturas e sons agradáveis que serviam para complementar e enriquecer sua experiência? Então você já esteve em contato com o design sensorial.

Empresas que sabem tirar proveito de uma marca para além do visual tendem a experimentar benefícios econômicos significativos sobre a concorrência. Quem já adquiriu um produto Apple sabe disso. Desde o momento em que você abre a embalagem até a hora que liga seu gadget, cheiros, texturas e a forte (embora sutil) presença da maçã fazem de seu novo aparelho algo ainda mais significativo.

Mesmo que esse exemplo ilustre bem como o design sensorial funciona, ele não explica seus princípios. A seguir, vamos navegar individualmente por cada sentido e entender como são explorados pelo design sensorial. Acompanhe:

Visão

A visão é tradicionalmente o sentido mais explorado pelas empresas para desenvolver suas marcas no mercado, e não é difícil entender o porquê: de embalagens a websites, passando pela publicidade na televisão, o nosso primeiro ponto de contato com uma marca costuma ser visual.

As pessoas gostam de ver logos atraentes, cores corporativas e personagens que possam relacionar a um produto específico. Não é de se estranhar então que a maioria delas reconheça os logotipos da Pepsi ou o Papai Noel da Coca-Cola quase que de imediato.

Embora esses elementos sejam o ponto focal da estratégia de negócios na maioria das companhias, isso vem mudando lentamente. O que as marcas já perceberam é que o uso de elementos visuais pode não ser tão importante se seu produto estiver adequadamente posicionado e puder ser associado a outros estímulos.

Quer um exemplo? Os aficionados por carros sabem que o barulho de um motor da Ferrari é uma de suas assinaturas. E não é sequer preciso botar os olhos num carro da marca para reconhecê-lo a distância.

Ao estimularmos outros sentidos, conseguimos fugir de clichês sem sacrificar a identidade ou o reconhecimento do nosso produto.

Audição

Em termos de popularidade, a audição é o segundo sentido mais explorado no branding — inclusive, acabamos de usá-la como exemplo no tópico anterior. O som é constantemente usado no marketing e na publicidade para apelar a nossos ouvidos, visto que as empresas sabem que não terão elementos o suficiente para influenciar as decisões de compra do consumidor se fizerem campanhas dispondo apenas de elementos visuais.

Pense no comercial de sua marca de salgadinhos favorita. Agora pense nesse mesmo comercial sem um ruído sequer. Não funciona, certo?

Por isso, sons agradáveis e jingles são utilizados para criar uma impressão duradoura na mente do consumidor. Da música que você ouve em um comercial ao som de inicialização de um celular, o sentido da audição é estimulado para adicionar camadas a nossas experiências de consumo.

Paladar

Se para entender o design sensorial precisamos visitar cada um de nossos sentidos, não poderíamos negligenciar de forma alguma o paladar. Há muito poucas ferramentas mais eficientes para garantir reconhecimento do que um produto com sabor distintivo.

O KFC, por exemplo, tem como carro-chefe um dos segredos mais bem protegidos da indústria. Até hoje, poucos são os indivíduos que conhecem a mistura exata de especiarias que dão a seu frango o sabor característico. A Coca-Cola também convive há anos com os rumores de utilizar um ingrediente secreto, que confere à bebida um sabor diferenciado com relação aos concorrentes.

A ideia de uma receita desconhecida não é nova e até nossas avós já se utilizavam dela. O envolvimento do sabor no desenvolvimento da marca também não é novidade, embora recentemente as empresas tenham começado a perceber a importância de combinar sabores e outros sentidos na criação de uma experiência de consumo melhor.

Mesmo que uma marca não venda produtos alimentícios, ela pode explorar o paladar de seus consumidores. Seja servindo um biscoito exclusivo em sua loja ou distribuindo uma edição limitada de alguma bebida, é possível incluir o sabor em seu design sensorial.

Tato

Nem todas as marcas entendem nossa sensibilidade e tendência natural a interagir tatilmente com o ambiente a nosso redor. Mas é fato que, muitas vezes, compreendemos o mundo por meio de texturas e gestos.

Muitos de nós conseguimos, por exemplo, utilizar o computador sem olhar para suas teclas. Isso ilustra o desenvolvimento de uma memória física e também a inclusão de certos produtos em nosso cotidiano.

Rótulos, embalagens texturizadas e garrafas adaptadas às nossas mãos são outros exemplos de como nosso senso tátil nos permite criar uma conexão mais próxima com determinadas marcas.

Olfato

Por último, mas não menos importante, ficou o olfato. Você sabia que o nariz humano consegue dizer a diferença entre milhares de odores?

Além de ser o mais intenso dos sentidos, ele também é o que mais fortemente se associa a nossas memórias. Façamos um exercício: pense em sua infância e tente lembrar de algum produto de que realmente gostava. Seja o que for — um brinquedo, algum doce ou até mesmo um móvel —, você deve ser capaz de recordar seu cheiro sem muito esforço. As marcas também podem usar o incrível poder do olfato para enaltecer seus produtos aos consumidores.

Nem todos os sentidos se aplicam a todos os produtos, mas vale olhar com atenção para os exemplos de design sensorial ao nosso redor. Você provavelmente interage com marcas e produtos que exploram bastante essa técnica para melhorar sua experiência de consumo.

Gostou de conhecer o design sensorial? Siga a MM Embalagens no Facebook e conheça outros recursos de design que fazem toda a diferença!

Saiba como conquistar a confiança do cliente!

Conquistar a confiança do cliente é fundamental para ter um negócio de sucesso. Por isso, cada vez mais os empresários buscam estratégias diferenciadas de cativar o público, criando uma parceria duradoura.

Interessou-se pelo assunto e quer conhecer algumas ações capazes de ajudar nesse processo? Basta seguir as dicas abaixo. Assim, será possível obter a total confiança do consumidor e reforçar a credibilidade da firma no mercado. Confira:

Honre o combinado

O primeiro passo para construir um bom relacionamento com o cliente, fortalecendo o sentimento de confiança, é cumprir o prometido. Isto é: ao firmar um negócio, o gestor deve honrar tudo o que foi combinado durante a negociação — tanto no que diz respeito ao prazo de entrega quanto, por exemplo, à qualidade do material.

Por isso, em hipótese alguma faça promessas que a empresa não tem condições de honrar. Pois essa atitude causará uma má impressão no cliente, que, em consequência, vai procurar os concorrentes.

Forneça mecanismos efetivos de contato

Toda empresa de destaque no mercado tem uma característica em comum: um processo de vendas eficiente, fornecendo aos clientes inúmeras possibilidades de contatos, que realmente acolhem e resolvem as necessidades do comprador.

Nesse contexto, vale apostar no aprimoramento do setor comunicacional. Afinal, são relativamente comuns casos em que a organização apresenta um processo inicial de vendas bem estruturado, mas com inconsistências quando chega a última etapa, mais conhecida como pós-venda.

Assim, o cliente fica sem o devido suporte da empresa quando precisa esclarecer alguma dúvida ou quando detecta erros no produto. Existem situações em que os números fornecidos, aba do site de atendimento ou ainda e-mail nem mesmo funcionam.

Então, esta é a regra de ouro: deixe com os clientes contatos sempre atualizados da empresa, desde número de telefone até e-mail, certificando-se de atendê-los com agilidade.

Outra questão importante é manter os dados do site atuais, como endereço e mostruário.

Invista na marca

Atualmente, os clientes buscam empresas que ofereçam muito mais que apenas um bom produto. Eles querem vivenciar uma experiência exclusiva e completa, que vai desde um bom atendimento até a confecção de itens personalizados.

O mais indicado, então, é investir na marca, criando um proposta realmente diferenciada. Aposte, por exemplo, em produtos e serviços customizados, que com certeza vão conquistar o público.

Seja criativo e busque por novas inspirações, focando, por exemplo, o design de embalagens que ainda não tenham sido vistas no mercado. Tenha em mente que o céu é o limite e que, com a sua ajuda, a empresa pode alcançar um outro nível.

Lembre-se ainda de que oferecer a excelência, inclusive no setor de marketing, é vital para cultivar um bom relacionamento com o cliente.

Saiba reconhecer os erros

Já dizia o ditado que errar é humano. Entretanto, insistir no erro é uma falha grave, que pode comprometer seriamente o processo de conquistar a confiança do público.

O ideal aqui é ter em mente que a empresa pode, sim, cometer falhas, mas é preciso, sobretudo, se responsabilizar por tais equívocos e deixar o cliente a par de tudo o que está acontecendo.

Seja transparente nesse momento, explicando qual foi o problema ocorrido e apresentando a solução para saná-lo. Além do mais, deixe claro que a empresa está totalmente à disposição do cliente e já está providenciando as medidas necessárias.

Seja empático

Saber se colocar no lugar do outro é a melhor maneira para garantir um laço honesto e real com o público. Por isso, antes de tomar qualquer atitude ou determinar um plano de ação de marketing, conheça o seu público-alvo e saiba pensar de forma semelhante à dele.

Assim, será mais fácil produzir um conteúdo apropriado, garantindo a transmissão exata da mensagem da organização.

Tenha a certeza de que ser empático é fundamental para construir um elo de confiança permanente. Ser cordial e educado também é uma forma de cativar o cliente, desenvolvendo uma relação de respeito mútuo.

Conquiste um selo de segurança

Sites e produtos que têm um selo de garantia ou de certificação proporcionam mais segurança aos clientes. Isso faz com que eles se sintam mais confortáveis em efetuar a compra — seja por canais online ou presencialmente.

Portanto, verifique qual a certificação compatível com o estilo do seu negócio e procure cumprir toda a regulamentação, para assim adquirir um selo de segurança.

Essa alternativa não só vai conquistar os clientes, como impulsionará as vendas, fortalecendo a empresa no mercado.

Reúna depoimentos favoráveis

Pode apostar: compilar depoimentos de outros clientes é uma forma eficiente e sábia de melhorar os resultados da empresa em relação à confiabilidade.

Lembre-se de que grande parte dos clientes, antes de realizar uma compra, pesquisa mais detalhes da organização na internet, certificando-se de que a firma realmente tenha uma boa reputação no mercado.

Então, para facilitar a busca, que tal reunir no próprio portal da empresa ou ainda nas redes sociais alguns depoimentos positivos? Eles transmitirão mais segurança aos potenciais clientes.

Uma boa ideia aqui é incentivar o público fiel e de longa data a fazer comentários nas páginas e ainda avaliar a empresa no Facebook. Mas não ultrapasse os limites, criando uma situação inconveniente. O cliente deve se sentir confortável o suficiente para emitir a opinião sem se sentir pressionado.

Evidencie os diferenciais

Pense bem: enquanto consumidor, você preferiria comprar de uma empresa que aparentemente não tem nenhum destaque ou daquela que existe há anos e comprova a qualidade dos seus serviços e produtos?

A resposta dessa questão é óbvia. Inclusive, você pode fornecê-la sem hesitar, certo? Por isso, é importante deixar à mostra os destaques da organização.

Evidencie, por exemplo, a carteira de clientes com nomes que são referência no mercado, quantidade de consumidores já atendidos, certificados conquistados, tempo de atuação e outros aspectos que vão diferenciar a marca.

Conquistar a confiança do cliente passo a passo

Conquistar a confiança do cliente é um processo gradual, que exige dedicação e paciência, pois um simples deslize pode ser fatal. Para, então, garantir êxito nessa tarefa, encare o cliente como parte essencial da empresa, lembrando de investir em estratégias diferenciadas para construir um relacionamento saudável e harmonioso.

Gostou do conteúdo e quer conhecer alternativas para fortalecer o vínculo com o consumidor? Então, siga-nos no Facebook e receba dicas úteis para melhorar os resultados da sua empresa!

Conheça 6 benefícios do uso de caixas personalizadas em seu negócio

Além de transportar mercadorias, as embalagens são, hoje, itens muito importantes para o consumidor, sendo responsáveis por fixar a marca e ainda proporcionar novas experiências de compra. Por isso, conhecer os benefícios do uso de caixas personalizadas permite à empresa desenvolver as melhores estratégias para oferecer a entrega ideal ao cliente.

Sabemos que as embalagens são capazes de aumentar a segurança no transporte, sendo este um quesito necessário para conquistar a satisfação dos clientes ao receber um produto bem embalado e protegido.

Contudo, uma embalagem personalizada também pode mudar a percepção do cliente com relação ao produto adquirido, e melhorar sua apresentação, agregando mais valor à mercadoria. Quer entender melhor como tudo isso funciona?

Para que não restem dúvidas sobre esse assunto, selecionamos neste post os seis principais benefícios do uso de caixas personalizadas. Então, continue lendo e confira quais são eles!

6 benefícios do uso de caixas personalizadas

1. Padronização e fixação da marca

De fato, utilizar as embalagens para divulgar sua marca é uma excelente estratégia no mundo dos negócios.

Mas, para que essa prática seja realmente bem executada, é essencial estampar o logotipo com as cores da identidade visual da sua empresa, entre outros ícones e elementos que possam facilitar o reconhecimento do cliente.

No mercado atual, existem diversos símbolos e até cores que permitem a identificação de uma marca. Com isso, a padronização se torna um item necessário para atrair a atenção dos clientes, interferindo até mesmo nas suas decisões de compra.

Assim, lembre-se de que essa estratégia pode inclusive melhorar os processos logísticos, além de ser considerado um recurso fundamental para se diferenciar dos concorrentes, a partir de uma embalagem exclusiva que reforce as principais características do seu negócio no mercado.

2. Maior posicionamento

Transmitir os valores da sua empresa por meio de sua embalagem é uma prática que tem chamado a atenção do público.

Ainda que o seu negócio priorize questões sustentáveis ou práticas ligadas ao consumo consciente de alimentação, por exemplo, é indispensável retratar essa preocupação diretamente nas embalagens, sendo possível utilizar materiais biodegradáveis ou que evitam o desperdício de espaço e recursos.

Dessa maneira, independentemente da estratégia utilizada, o posicionamento de marca é visto a partir de um novo ângulo pelos consumidores, que buscam novas experiências e justificativas no ato de compra.

Além disso, considerar a personalização de embalagens e uso de materiais sustentáveis como uma prática obrigatória — em vez de embalar suas mercadorias de maneira convencional —, repassa aos clientes uma mensagem clara dos interesses e preocupações sócioambientais da empresa, para além do aumento dos lucros nas vendas, apenas.

3. Segurança e acondicionamento ideal

Como já mostramos, os benefícios do uso de caixas personalizadas não se limitam apenas a melhorar o design das embalagens, mas também contribuem para entregar o produto nas melhores condições para o cliente.

Nesse sentido, decidir-se entre os materiais mais apropriados e seguros é o primeiro passo antes de personalizar suas embalagens. Afinal, de nada adianta receber uma embalagem bonita que não conseguiu proteger corretamente o produto durante o trajeto, certo?

Contudo, além de proteger as mercadorias de acordo com seu tamanho e fragilidade, as embalagens precisam cumprir outro quesito importante no trajeto: garantir a usabilidade.

Em outras palavras, a embalagem precisa ser fácil de ser transportada e aberta pelo próprio cliente, o qual, muitas vezes, encontra dificuldade em romper um lacre ou, simplesmente, desfazer o embrulho.

Assim, percebe-se que a embalagem se relaciona com um conjunto de necessidades que tornam a mercadoria segura, bem acoplada — além de ser visualmente agradável para quem a recebe, é claro.

4. Mais valor agregado no ato de compra

Quando a embalagem é bem produzida, as chances de encantar o cliente são bem maiores. Isso explica porque, em diversas ocasiões, os embrulhos não são descartados depois de abertos, mas usados como itens de decoração ou outras utilidades, que evidenciam o valor da caixa para o consumidor.

Além disso, ao utilizar a embalagem mais adequada e atrativa, simples mercadorias podem se transformar em verdadeiros presentes. Basta investir nos recursos visuais certos, como laços, cores predominantes, formatos diferenciados, entre outros detalhes que serão memoráveis para os clientes. Surpreender o consumidor antes de abrir o produto é um desafio que diversas empresas já estão superando, mostrando aos demais concorrentes o quanto uma simples caixa de papelão pode persuadir e fidelizar um possível comprador.

Por esse motivo, é fundamental refinar as embalagens ou torná-las interessantes para agregar mais valor à compra, de modo que o embrulho destaque a importância do seu produto diante dos demais que estão nas prateleiras.

5. Melhoria da comunicação com o público

O seu produto possui especificações de uso? Então, nada melhor do que aproveitar as embalagens para descrever esses detalhes sobre a mercadoria.

Muitas vezes, tais informações são entregues em forma de manuais ou folhetos ilustrativos, o que compromete o tempo do cliente e ainda permite que o material seja ignorado e descartado com facilidade.

Como solução, as embalagens também podem ser importantes transmissoras de conteúdo — levando em consideração que é comum os clientes consultarem informações no seu verso.

E aproveitar esse espaço ainda pode reduzir o uso de materiais adicionais, melhorando a comunicação com os consumidores. Nossa dica, porém, é investir em uma impressão com qualidade, evitando que essas informações fiquem distorcidas ou ilegíveis para o cliente.

6. Satisfação do cliente

Por fim, é fato que conquistar a preferência do cliente está cada vez mais difícil atualmente. A cada dia surgem novas empresas, com serviços e produtos inovadores, disputando espaço no mercado com você.

Ainda assim, também se deve considerar que os clientes estão mais exigentes, sempre em busca de novas experiências que tornem o seu consumo satisfatório e memorável.

Diante disso, melhorar seus serviços por meio de embalagens personalizadas é um excelente caminho para atrair o público e se diferenciar da concorrência. E, sem dúvida, conquistar o cliente antes que ele desfaça o embrulho é garantir sua satisfação e confiança na compra de futuros itens!

Gostou do post? Agora que já conhece os benefícios do uso de caixas personalizadas para o seu negócio, ficará mais fácil se destacar da concorrência e ainda agradar seus clientes. E para continuar por dentro dos melhores assuntos, basta nos seguir no Facebook!

Logística de entrega: 9 erros que você precisa evitar

A logística é uma área muito importante para a empresa e seus resultados. Mesmo que seja vista como um setor operacional, ela está diretamente ligada à estratégia, à satisfação dos clientes e à eficiência do seu negócio. No entanto, alguns cuidados devem ser tomados, principalmente na logística de entrega — dada a sua importância para qualquer empreendimento.

Os erros de gerência não consomem apenas os recursos financeiros, mas também afetam a sua credibilidade e prejudicam a satisfação dos consumidores.

Pensando nisso, conheça agora os nove erros que você precisa evitar na logística da sua empresa!

1. Desconsiderar o aspécto dinâmico da cadeia de suprimentos

A cadeia logística não é uma estrutura rígida. O que acontece em uma etapa do processo pode influenciar diretamente em outros pontos da cadeia, ou seja, tudo pode mudar de acordo com a demanda do cliente. Aliás, existe até a possibilidade de acontecer a logística reversa em algum momento.

Por isso, o mais sensato é considerar a cadeia de suprimentos como uma estrutura dinâmica. A demanda pode influenciar a gestão de compras, ao passo que um imprevisto faz com que o transporte opte por meios alternativos. Dessa forma, esse tipo de estrutura torna a logística mais robusta contra os empecilhos.

2. Exagerar no controle de indicadores

É essencial acompanhar os indicadores de desempenho dos processos para que o administrador saiba melhor os resultados de suas operações, a fim de que faça um planejamento mais eficiente. No entanto, a criação desses indicadores sem o devido critério promove a possibilidade de haver riscos de perda em meio a tanta informação.

Daí a importância em ter um controle melhor deles, para que o gestor não acompanhe os dados irrelevantes, perdendo o que realmente seja importante para o seu negócio — no tocante aos termos de planejamento e tomada de decisões.

3. Falhar na comunicação

Por ser uma área dinâmica, a logística recebe e envia grandes fluxos de dados. Portanto, os extravios de informações, atrasos e falhas de comunicação podem, consideravelmente, prejudicar os objetivos da empresa.

Em tempos em que a comunicação rápida e correta pode ser o diferencial estratégico de um negócio, não dar a devida importância para essa questão é um grande erro de logística que não deve acontecer.

4. Deixar de planejar as rotas de entrega

O planejamento de rotas tem relação com a criação de rotinas que buscam melhorar o tempo de entrega e o gasto de combustível, de modo a atender todos os pontos da melhor forma possível.

Nesse caso, utilizar um software também é essencial, visto que ele auxilia e garante o aumento da produtividade, reduzindo prazos de entrega, diminuindo custos, permitindo transportes mais eficientes e a otimização da satisfação dos clientes.

5. Não controlar todos os custos

O setor de logística é responsável por um dos maiores custos que um empreendimento possui: o de combustível. Isso sem levar em conta outros gastos, que envolvem mão de obra, estoques, manutenções, entre outros.

Logo, permitir o descontrole também é um dos erros de logística que um gestor precisa dar atenção, a fim de que seja evitado. Ao controlar rigorosamente os custos ocasionados, é possível saber as principais falhas e oportunidades de melhora.

Os erros relacionados à logística podem afetar outras áreas, como decisões de compras, estratégias comerciais e, principalmente, no que os clientes esperam, podendo ficar notória a ineficiência do processo de gestão. Posto isso, é essencial avaliar os meios e buscar, constantemente, as melhorias pertinentes.

6. Falta de preparo de pessoal

Uma grande falha de qualquer empreendimento é, por exemplo, treinar somente o seu pessoal de vendas e se esquecer da equipe de logística.

É necessário compreender que todos os profissionais precisam estar preparados adequadamente. Conectar as equipes é uma boa forma de fluir o planejamento da empresa. Nesse caso, reúna os grupos e ofereça um bom treinamento.

É fundamental que seus funcionários estejam preparados para fidelizar a clientela, permitindo uma incrível experiência àqueles que adquirem mercadorias do seu negócio. Nesse caso, o trabalho de um time treinado colabora para um atendimento ágil e eficaz.

Portanto, faça um planejamento com todos que estão engajados na empresa, mantenha as informações transparentes e os objetivos claros para que essas etapas sejam um grande sucesso.

7. Ter pouca visibilidade do sistema de informação

Quando alguma mercadoria se movimenta na cadeia de suprimentos, e a gestão a perde de vista, nesse caso, algum erro está acontecendo. A falta de visibilidade no sistema de informação impede que ocorram modificações e ajustes dinâmicos na rota logística que o produto segue, sem falar na possibilidade de perdas e extravios.

Por isso, é interessante garantir que a estrutura de sistema de informação possa estar preparada para garantir a visibilidade, favorecendo o acompanhamento e monitoramento.

8. Não se preocupar com o armazenamento

Um dos pontos mais importantes da logística e também de todo o negócio é o estoque. Quando ele é muito pequeno, existe o risco de acontecer uma situação de desabastecimento. No caso de ser grande, aumentam-se os custos, podendo até mesmo afetar a lucratividade do empreendimento e o preço do produto.

Além do mais, é preciso ter um bom controle de entrada e saída de mercadorias, a fim de evitar perdas, desvios e desperdícios. Dessa forma, não cometa o erro de ignorar o armazenamento. Em vez disso, promova uma gestão eficiente e integre o estoque aos setores de transporte e compras.

9. Não oferecer embalagens de qualidade

Uma grande preocupação da logística de entrega é a qualidade das embalagens usadas para acomodar mercadorias. São elas que garantem que os produtos estejam íntegros, evitando que ocorra alguma danificação.

Os consumidores estão acostumados a receber produtos em sacolas ou caixas inadequadas. Ao oferecer uma embalagem diferenciada, o cliente acaba sendo surpreendido e tendo uma experiência diferente com a que estava acostumado.

É necessário que as embalagens excedam às expectativas do público e se transformem em um diferencial.

Com o devido investimento nelas, as empresas conseguem demonstrar todo o cuidado que possuem. Em tempos que a palavra de ordem é diminuição de custos, os que mantiverem essa preocupação conseguirão se destacar em relação à sua concorrência.

Gostou do nosso texto sobre a logística de entrega e os erros que precisam ser evitados? Assine a nossa newsletter e fique por dentro deste e de outros assuntos relevantes para o seu negócio!

Posicionamento de marca: por que sua empresa precisa se preocupar?

Em cenários de alta disseminação de informações e grande competitividade, estabelecer um plano de posicionamento de marca é fundamental para engajar clientes, fidelizá-los e obter destaque da concorrência. Esse conjunto estratégico pode ser definido por uma simples equação: posicionamento = segmentação + diferenciação.

As ações têm como objetivo associar produtos e serviços ofertados à idéia de serem desejáveis e imprescindíveis, criando assim um valor que os diferencia no mercado.

Empresas bem posicionadas conseguem engajar indivíduos e manter uma trajetória mais longa. Entretanto, não se deve confundir tradição com apego a velhas práticas. É preciso, constantemente, atualizar-se e pensar em novas estratégias que permitam a sobrevivência e o alcance de bons resultados.

Listamos algumas dicas que vão te ajudar a definir o posicionamento de sua marca. Confira! 

Defina a identidade e a imagem do negócio

Saber diferenciar e relacionar esses dois pontos é vital para o sucesso de uma estratégia de posicionamento de marca. Os dois são intrinsecamente relacionados, porém, diferentes.

A identidade contempla um conjunto de elementos que pertencem à essência do negócio: serviços, atendimentos, relacionamentos externo e interno, estruturação, dentre outros.

A imagem é a forma como a empresa é percebida pelos indivíduos. Julgamentos como ”a companhia X sempre oferece novidades” ou ”Y possui uma campanha ambiental socialmente responsável” fazem parte desse ponto.

Sabendo-se a diferença entre identidade e imagem, ou seja, entre a essência de uma empresa e a percepção externa sobre ela, é possível construir uma estratégia de posicionamento. Assim, torna-se possível a vital associação entre valores do negócio e do público, por meio da elaboração de produtos e da modelagem do atendimento, dentre outros.

Pense bem: um negócio pode apenas se estabelecer em um lugar se houver total conhecimento sobre quem ele é, sobre suas crenças, a quem deseja se direcionar e o que é dito sobre ele.

Conheça a audiência

A audiência está mais relacionada ao alcance de uma marca, enquanto o público-alvo contempla os indivíduos que, de fato, consomem os produtos e os serviços. A primeira engloba o segundo grupo, e conhecê-las é fundamental para construir a identidade e a imagem de marca, logo, o posicionamento estratégico. 

Digamos que todas as pessoas que curtem uma marca no Facebook, por exemplo, sejam a audiência. Para fazer com que esses indivíduos sigam, em primeiro lugar, a página e que, em segundo lugar, interajam constantemente com ela, é preciso ter um conhecimento mais específico de quem são essas pessoas, facilitando também a transformação desse público em clientes.

As redes sociais são um bom exemplo de ação sobre a audiência, uma vez que elas permitem o diálogo com um grande número de pessoas. 

Segmente o público-alvo com o posicionamento de marca

A partir do conhecimento da audiência, defina o seu público-alvo, ou seja, estabeleça nichos de mercado. É sobre esses grupos específicos que o posicionamento de marca, de fato, atua.

Pense bem: infelizmente, uma marca não tem como fazer com que todas as pessoas que interagem com ela consumam seus produtos e serviços. Definir critérios de segmentação favorece, de fato, o sucesso da venda.

Por meio da segmentação, é possível estabelecer os públicos com os quais você deseja se conectar. Critérios demográficos (idade, gênero, profissão, religião), geográficos (endereço), psicográficos (estilo de vida) e comportamentais auxiliam o processo.

​Esses dados fazem com que o posicionamento tenha um direcionamento claro. Eles permitem que você fale a mesma linguagem do seu público e ofereça algo relevante.

Digamos que uma marca de biscoitos, por exemplo, identifique um público-alvo potencial que possui alergia a glúten, algo apenas alcançado por meio da coleta de informações.

A partir desses dados, a criação de uma linha de produtos que não leve farinha de trigo pode ser estudada. Dessa forma, a empresa está se posicionando estrategicamente no mercado. 

Destaque-se da concorrência

Garantir destaque: esse é um dos principais objetivos de qualquer empreendedor. Apesar da importância de ser facilmente reconhecido pelo público em meio a tantas ofertas, também é vital manter-se atualizado sobre o que os seus concorrentes estão fazendo.

A partir do conhecimento das ações de outras empresas, procure criar pontos que destaquem a sua. Entretanto, saiba a diferença entre manter-se atualizado e copiar estratégias.

A reprodução direta e exata transmite falta de credibilidade em relação ao público e ao mercado. O ideal é usar as ações dos concorrentes como parâmetro — como modelos a serem melhorados e aperfeiçoados. Sempre busque o seu diferencial.

Essa procura deve manifestar-se em variados níveis da organização. É preciso responder à pergunta: o que torna essa empresa única?

Invista no atendimento

Essa é uma das maneiras mais eficientes em destacar o seu negócio da concorrência e construir uma percepção positiva, ou seja, de trabalhar o posicionamento de marca.

O importante que determinado cliente não se sinta apenas mais um entre os vários da carteira de clientes. É vital fazer com que ele se sinta especial. Os funcionários responsáveis pelo atendimento devem ser constantemente capacitados e orientados. O nível de satisfação precisa ser alto.

Caso as vendas sejam realizadas em plataformas digitais, garanta o total funcionamento delas. Os sites precisam ser didáticos, funcionais e oferecer a possibilidade de contato direto por meio do envio de e-mail, ligação telefônica ou o próprio atendimento online.

Digamos que um indivíduo, apesar do grande interesse em um determinado produto, não consegue efetuar a compra no site online pois o endereço apresenta um defeito operacional, ou seja, a tela trava constantemente, conduzindo ao insucesso do pedido.

Ao tentar entrar em contato com a empresa por meio do 0800, todas as linhas estavam ocupadas e ele teve que esperar 30 minutos, quando, com impaciência, cancelou a ligação. Irritado, entrou no site do concorrente e achou um produto que dialoga melhor com os seus interesses.

O posicionamento de marca depende totalmente da especialização da oferta — ou seja, da segmentação — e do destaque em meio à concorrência.

As informações sobre o conjunto de ações foram úteis? Compartilhe o post nas redes sociais, troque experiências!